Modalidades

Uma de suas características da aula é a adaptação de situações do dia a dia em que os músculos do corpo são exigidos na malhação. Por exemplo, lembre-se de um dia que você teve que retirar uma porção de sacolas cheia de compras de dentro do seu carro ou carregar caixas de mudança da sua casa. Além dos braços, o esforço que você certamente realizou fez com que outras regiões como ombros, pernas, músculos centrais do corpo (core) e costas fossem trabalhados.

Assim como acontece com o treinamento funcional, a musculação funcional não exige esforço de apenas uma área isolada, mas busca trabalhar o corpo todo de maneira generalizada, em exercícios compostos, imitando ações do dia a dia que estimulam diversos grupos musculares de uma só vez. Isso sem tirar o foco do principal objetivo da musculação que é o crescimento da massa muscular.

Esse modo mais amplo de trabalho traz a vantagem da diversidade de movimento, que nem sempre é privilegiada no levantamento tradicional. Além disso, o fato da musculação ser feita de modo não funcional, que não mexe com a mesma gama de músculos que as tarefas rotineiras exigem, traz o risco de corpo ter a aparência de força, quando na verdade não é tão forte assim.